Institucional
Sobre o Elas
Sobre o Elas
Conselhos e equipe
Concursos
Como contribuir
Trabalho voluntário
Notícias
Fale conosco
Fale conosco
 
Assine nosso boletim
Nome
E-mail
 
   
 
   
   
   
Siga-nos no Facebook! Siga-nos no Twitter! Conheça nosso canal no YouTube!

Notícias

'O Brasil é um país em que a empatia é um valor muito mais forte – e concreto – do que qualquer tipo de ódio' (27/11/2018)
ELAS

Nesse Dia de Doar, conversamos com Amalia Fischer sobre cultura de doação e o cenário vibrante da sociedade civil no Brasil. O #DiadeDoar é uma grande campanha para promover a cultura de doação no Brasil e no mundo. Foi realizado no Brasil pela primeira vez em 2013 e sua origem é nos Estados Unidos, onde começou em 2012. Hoje é uma campanha mundial, com mais de 45 países oficialmente participantes. Lá fora, o #diadedoar tem nome de #GivingTuesday, que significa "terça-feira da doação", e é sempre realizado na primeira terça-feira depois do Dia de Ação de Graças (o Thanksgiving Day).

 
No Brasil, o #diadedoar é organizado pela parceria ABCR - Associação Brasileira de Captadores de Recursos.
 
Confira a entrevista:
 
O Brasil tem mais de 820 mil ONGs, segundo pesquisa do IPEA de 2017, que atuam por melhores condições na educação, na saúde, por igualdade no acesso a direitos, pelo respeito ao meio ambiente, entre tantas outras pautas. O país também é reconhecido internacionalmente por sua forte rede de voluntariado. Como você vê hoje esse cenário vibrante da sociedade civil?
 
O Brasil evidentemente tem uma sociedade civil vibrante, apaixonada por múltiplas causas e tem muitas instituições que são um modelo a ser seguido, que vinculam  o setor privado com algumas causas, e também as parcerias publico-privadas são importantes com relação ao investimento social privado. Tem grande envolvimento de pessoas nessas diversas causas que dão seu tempo, sua energia e sua sabedoria para melhorar o Brasil e para o próprio desenvolvimento do país. O Brasil tem sido admirado por outros países da América Latina – que é o mais conheço – tanto pelo voluntariado quanto pelas diversas causas que as organizações da sociedade civil abraçam. E há associações da sociedade civil que estão muito preocupadas com todas as questões que têm a ver com o social, a diversidade,  a pluralidade e defesa de direitos.

Apesar disso, ainda é fraca a cultura de doação no país e há muita desconfiança e descrédito das ONGs por parte de grande parte da sociedade. Como podemos enfrentar esse desafio no presente?
 
Eu acho que se se publicitasse tudo que a sociedade civil faz, e o que a s organizações fazem todos os dias – e grupos informais, o que fazem todos os dias para melhorar a vida de milhares de pessoas no Brasil, em vez de noticiar só as questões ruins, todos teríamos um sorriso nos lábios porque não perderíamos a confiança e a credibilidade nas outras pessoas. Ao contrário, a empatia, a compaixão e o amor iam aumentar, assim como a cultura de doações. Aumentaria porque as pessoas teriam maior credibilidade.
 
Claro que existem organizações que não cumprem com ética e transparência sua missão, mas é um ponto pequeno comparado com todo o maravilhosos trabalho que faz a sociedade civil brasileira. E se se dá maior visibilidade a esse trabalho magnífico e feito muitas vezes com as unhas, porque as organizações não têm recursos, além de sermos mais felizes, maior quantidade de homens, mulheres e crianças teriam  mais oportunidades e seriam mais felizes.
 
O Dia de Doar é uma campanha anual para promover a solidariedade e a cultura de doação no país. Qual é a importância de ações como essa para a sociedade brasileira?
 
A importância do Dia de Doar é ampliar a cultura de doações no Brasil. O Brasil é um pais que doa, e poderia doar mais, não só trabalho voluntário mas recursos financeiros. Doar para a justiça social poderia ser tomado em conta muito mais por aqueles que doam desde 5 reais e 1 milhão de reais. Porque qualquer doação é bem vinda quando se trata de transformar o mundo para que ninguém fique para trás.
 
O Fundo ELAS está apoiando o Encontro Nacional de Mulheres Negras 30 Anos, e é parceiro do Encontro na campanha de financiamento coletivo que aceita doações até 2/12. Por que as pessoas devem doar para o Encontro Nacional de Mulheres Negras 30 Anos?
 
Porque tanto a equidade de gênero como a equidade racial são sumamente importantes para o desenvolvimento e o crescimento socioeconômico do Brasil de uma maneira justa e sustentável, e para uma sociedade mais harmônica e mais feliz. O Brasil tem se caracterizado como um país em que a empatia, como mostra essa sociedade civil vibrante, é um valor muito mais forte – e concreto –  do que qualquer tipo de ódio. Então, continue doando para transformar.
 
 
 
 
 
 
Tel +55 (21) 2286-1046 / Fax 55 (21) 2286-6712 - E-mail: elas@fundosocialelas.org
Site desenvolvido por FW2 Agência Digital