Renda, autonomia e consciência em Nazaré da Mata

Primeira organização de mulheres da sociedade civil da Zona da Mata de Pernambuco, a AMUNAM (Associação das Mulheres de Nazaré da Mata) foi fundada em 1988 e criou o Maracatu Rural Feminino de Baque Solto Coração Nazareno, único grupo de maracatu formado exclusivamente por mulheres.

Com o projeto “Mulheres no Maracatu Rural: Vencendo Paradigmas e Fortalecendo as Raízes da Cultura Popular”, a AMUNAM buscou contribuir para a continuidade da expressão popular na região. As indumentárias do folguedo foram restauradas e foram oferecidas de artesanato e também sobre violência doméstica, Lei Maria da Penha e políticas públicas para mulheres. A ideia foi fomentar ações que possibilitem geração de renda e autonomia para as mulheres e famílias que fazem parte do folguedo, além de combater a violência contra as mulheres na região.

Segundo Rosângela Souza, uma das participantes: “Tenho paixão enorme pelo artesanato, gostei muito de fazer parte deste grupo e de aprender sobre a importância da valorização das manifestações culturais. E as oficinas vão muito além da arte, pois nos levam a refletir sobre nossa vida e o universo feminino.”

“Discutir histórias de violência contra a mulher mexeu muito comigo. Ouvir tudo aquilo me deu uma angustia mas permitiu que eu me colocasse no lugar de cada uma e percebesse o quanto as mulheres são coagidas e como passam anos e anos para se libertar dessa relação e convívio dentro de suas casas”, conta Miriam Brito, que também foi beneficiária do projeto.

Maria Cristiana de Freias conta que o projeto “foi como uma terapia”: “Pude sair de casa não por sair, mas com o objetivo de me fortalecer enquanto mulher de direito e com possibilidades de aprender artesanato e ganhar meu dinheiro”.