Juventude e arte na CAMTRA – Casa da Mulher Trabalhadora

Com apoio do Fundo do Fale Sem Medo, a CAMTRA – Casa da Mulher Trabalhadora, realizou o projeto “Juventude e Arte para qualquer parte: pelo fim da violência contra as mulheres”. O projeto reuniu mais de quarenta jovens na construção de uma campanha de combate à violência contra as mulheres e foi liderado pelo Núcleo Jovem da CAMTRA, grupo cujo objetivo é valorizar o protagonismo juvenil no debate sobre a violência.

A campanha incluiu um processo de formação com dinâmicas, oficinas e debates, que teve auge no VI Curso Mulheres Jovens na Defesa dos Seus Direitos, em dezembro de 2014. A partir dos conhecimentos e vivências compartilhadas, as jovens produziram a campanha “Não me cale nem me culpe: #merespeitaae”, com vídeos, clipe musical e uma peça de teatro.

 

O foco da campanha “Não me cale, nem me culpe. #merespeitaae” é a violência sexual e o assédio, agressões frequentemente ignoradas em nossa cultura. O objetivo principal é contribuir para que outras mulheres jovens possam identificar as diversas formas de violência existentes, aumentar o conhecimento de seus direitos e conhecer formas de lutar por eles.

Sobre o impacto do projeto, Iara Amora dos Santos, coordenadora de projetos da CAMTRA, diz o seguinte: “As mudanças mais perceptíveis são as explicitadas pelas jovens em relação ao aumento de informação e ao empoderamento para lidar com questões de violência e discriminações, seja com elas ou com outras jovens. Além disso, o projeto gerou a criação de uma rede de apoio e troca entre as participantes, que criaram um grupo no Facebook por meio do qual seguem em contato e compartilham atividades e convites”.

Conheça a experiência de Ana Carolina Lacerda, que tem 18 anos, mora na Vila da Penha, zona norte do Rio de Janeiro, e foi uma das participantes do projeto:

“Eu me aproximei do Núcleo de Jovens da CAMTRA durante a construção do VI Curso Mulheres Jovens na Defesa dos Seus Direitos, uma das atividades do projeto “Juventude e Arte para qualquer parte: pelo fim da violência contra as mulheres”. O curso representou um momento muito importante em que pude ter contato com diferentes mulheres, de diferentes realidades e vivências. Isso tudo me fez abrir a minha mente e entender que o feminismo não é algo limitado, mas algo que cada mulher constrói na sua própria realidade. A partir do projeto, passei a me envolver com as atividades da CAMTRA e também a desenvolver atividades de multiplicação desse conhecimento com jovens estudantes de escolas públicas. Tenho vivido e praticado no meu dia a dia tudo que eu aprendi no projeto. E o processo de elaboração da campanha, com a produção dos vídeos, também foi incrível, pois foi a chance de fazer tudo o que pensávamos virar um produto real.”

Vídeo 1

Vídeo 2

Vídeo 3

Vídeo 4

Vídeo 5

Vídeo 6

 

Saiba mais sobre a CAMTRA, organização feminista que atua desde 1997 no Rio de Janeiro: www.camtra.org.br, https://www.facebook.com/camtra.cmt?fref=ts