Garotas, roque e novas ideias por uma Baixada sem violência

O Roque Pense é um coletivo de cultura antissexista que usa música, skate, grafite, cinema e outras linguagens para combater as desigualdades de gênero na Baixada Fluminense. O grupo atua principalmente contra a discriminação no universo da música e da cultura urbana.

Surgiu em 2011, na Baixada Fluminense, através de publicações independentes sobre educação não sexista. Através do roque, dos fanzines, da produção cultural e da cultura digital sua missão é promover atividades artísticas e culturais em que as mulheres sejam protagonistas e possam ter a oportunidade de se expressar, instrumentalizar-se e desenvolver suas habilidades, fazer intercâmbios e criar referências.

Com apoio do Fundo Fale Sem Medo, o coletivo promoveu o Festival Roque Pense! 2015, que teve como tema a violência doméstica na juventude. Através de shows, debates e oficinas artísticas, o coletivo levou para as ruas de Duque de Caxias sua campanha “Garotas, Roque e Novas Ideias Por uma Baixada Sem violência”, que mobilizou diversas jovens também pelas redes sociais.

Julianne Rodrigues Santos foi uma das jovens que participou do festival:  “Quando eu soube do festival mandei mensagem perguntando se eu poderia expor minhas artes, pois produzo cartazes feministas, e as meninas prontamente aceitaram e me convidaram para expor nos três dias do evento. Assisti os shows, participei dos debates e da oficina de arte urbana. Foi uma experiência incrível para mim, pois conheci muitas mulheres que tinham as mesmas ideias que eu, fiz amizades e a partir daí fui convidada para expor em outros eventos da região, como os cineclubes Buraco do Getúlio e Mate com Angu. Seria ótimo se tivéssemos mais encontros assim na região, a troca é incrível e nós saímos com a alma leve. Além disso, foi uma oportunidade de falar sobre violência doméstica na juventude, um assunto que não é muito falado e é muito importante, especialmente na Baixada Fluminense, uma região com índices alarmantes de violência contra a mulher”.

Confira um pouco do que rolou no festival: