Trocas intensas e parcerias marcam o II Diálogo ELAS na Moda e Sem Violência - Elas na Moda

Notícias

Trocas intensas e parcerias marcam o II Diálogo ELAS na Moda e Sem Violência

05/12/2019


Conexão é a palavra-chave para contar o que foi o II Diálogo ELAS na Moda e Sem Violência. O encontro reuniu representantes dos 21 grupos apoiados no I Edital ELAS na Moda e Sem Violência, de 19 a 21 de novembro no Rio de Janeiro, para conversar sobre justiça de gênero na moda e construir parcerias e estratégias conjuntas por uma moda justa e sem violência.

Estavam presentes também convidadas da Abit - Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, ABVTEX - Associação Brasileira do Varejo Têxtil, Solidarity Center, São Paulo Fashion Week, Casa das Pretas, Redeh e Grupo Cidadania Feminina.

Os debates foram sobre condições de trabalho e violência contra as mulheres na cadeia da moda, a partir de pesquisas e de vivências de mulheres negras, de áreas agrícolas e rurais, imigrantes, lésbicas, trans e travestis, gordas, faveladas e de periferia. Invisibilidade, discriminação, racismo e falta de políticas e práticas relacionadas à equidade de gênero foram alguns dos temas conversados.

Apesar de haver muitos problemas e desafios para as mulheres no campo da moda, o destaque do II Diálogo ELAS na Moda e Sem Violência foram as soluções. Como disse Lu Brito, da REAFRO RS: “Participar do evento está sendo muito legal, principalmente encontrar essa mulherada que está fazendo acontecer em cada canto do país. A gente se deu muito bem, somos um bando de mulheres que está se movimentando e ajudando outras mulheres, que é o mais importante e é nosso objetivo. Estou muito feliz com essa energia!”

Para intensificar as trocas e possibilidades de aliança, as representantes dos grupos foram convidadas a experimentar o lugar da outra em uma dinâmica: cada grupo apoiado no Edital #ELASnaModa apresentou no Diálogo o projeto de outro grupo. Juntas, construíram parcerias para potencializar suas iniciativas por uma moda mais justa.

“É uma experiência incrível poder estar vivenciando esse momento com mulheres incríveis que têm projetos super potentes. É o momento de potencializar o nosso grupo, falando sobre corpos trans e travestis na moda, hackeando esses espaços e discutindo a transfobia estrutural”, contou Rafa Kennedy do Ateliê TRANSmoras, de São Paulo.

“O evento está me proporcionando a sororidade, a possibilidade de ouvir outras mulheres, mulheres negras, mulheres trans. Temos aqui a oportunidade de apresentar nossas demandas,  que a sociedade não está sanando, em um espaço em que há cuidado com as nossas causas. Isso está me fortificando e sei que vou ser multiplicadora quando eu voltar para o Rio Grande do Sul”, disse Claudia Campos da REAFRO RS.

Andréa Brazil, do Capacitrans RJ, também celebrou a oportunidade: “O Diálogo é muito enriquecedor, são potências incríveis, eu me senti completamente representada por todas aqui presentes. A  gente aprende muito com todas, isso mostra o quanto a gente tem força, tem resistência. Estar aqui hoje como parte disso não tem preço”.

Confira um pouco do que rolou no Instagram do ELAS.