Guerreiras da Palha de Carnaúba e da resistência - Elas na Moda

Notícias

Guerreiras da Palha de Carnaúba e da resistência

09/09/2020


Capacitar, divulgar e valorizar o trabalho artesanal e autoestima das mulheres da cadeia produtiva da palha de carnaúba a partir de oficinas de produção e moda, criação de uma coleção e portfólio e produção de um desfile para apresentação dos produtos à comunidade. Esse foi o objetivo do projeto Guerreiras da Palha de Carnaúba, da Associação Mucaúba, do Povoado de Muquém de São Pedro e do entorno, no Ceará. O projeto contou com o apoio do Fundo ELAS e Laudes Foundation no Edital ELAS na Moda e Sem Violência. Nas palavras de uma das coordenadoras do projeto, Francisca Chagas, “Acreditamos que possibilitando mais conhecimento para as mulheres, poderíamos desenvolver o talento criativo que estava dentro de cada uma delas, e que ainda não conseguiam desenvolver pelas poucas oportunidades que têm em nossa comunidade. Somos uma comunidade pobre, rural e distante dos grandes centros.”

Antes do início do projeto, as mulheres trabalhavam individualmente. O projeto possibilitou a união das mulheres, a ampliação do seu conhecimento e compreensão dos seus direitos, além de favorecer sua autonomia, inclusive financeira, seu protagonismo e empoderamento feminino.

As atividades aconteceram nas comunidades de Muquém de São Pedro, no município de Cariré, Solidade, no município de Reriutaba, Pocinhos, no município de Graça e no quilombo Batoque, no município de Pacujá – todos no estado do Ceará.

Curso de corte e costura, palestras sobre economia solidária e sobre empoderamento feminino e comunitário, atividades de saúde física e mental, produção de máscaras, produção de looks, e fotos – isso sem falar na distribuição de cestas básicas. E ainda realizaram uma oficina de costura online com mulheres negras, trabalhadoras do campo e imigrantes!

A parceria com o Laboratório Arremate (outro projeto apoiado pelo mesmo edital) possibilitou capacitar as mulheres na área da costura. A partir desse curso, algumas mulheres conseguiram trabalho na área e melhoraram sua renda familiar.

As atividades de criação, produção e apresentação ajudou as mulheres a desenvolverem seu talento criativo e estimularam sua autoestima.

Um grupo de 40 mulheres de Muquém, todas participantes do projeto, se reúne todos os dias, à tardinha, na praça da igreja, para realizar atividades físicas acompanhadas por uma profissional moradora da região. Elas relatam que a iniciativa ajudou demais durante a quarentena, pois melhorou muito a saúde do corpo e da mente. Deu tão certo que as mulheres resolveram a manter o grupo mesmo depois do fim do projeto.

Tudo isso foi e está sendo possível por que as Guerreiras da Palha de Carnaúba são mesmo guerreiras. A chegada da pandemia impactou fortemente a região. “Nossa grande dificuldade é que nossa comunidade é uma comunidade rural e distante. A realização do nosso projeto dependia da ajuda de muitos parceiros de fora da comunidade, do município e até do estado, e com toda essa pandemia tivemos que nos reinventar para podermos trabalhar da melhor forma. No nosso território houve um grande impacto econômico, social e financeiro. Tivemos que parar todas as atividades e as pessoas ficaram sem trabalho e sem renda. ”, conta Francisca Chagas.

Com a flexibilização no uso do recurso do projeto, foi possível ajudar as comunidades participantes com a distribuição de máscaras, cestas básicas e produtos de higiene.

Além disso, fizeram acompanhamento e apoio para pessoas que não tinham acesso ao requerimento do auxílio emergencial do governo e ainda ofereceram apoio psicológico às mulheres que sofriam de ansiedade.

Para finalizar o projeto, as Guerreiras da Palha de Carnaúba decidiram realizar um desafio no qual as participantes desenharam o look e produziram e depois fizeram um ensaio fotográfico para a divulgação. “Foi a melhor forma que encontramos para valorizar o aprendizado inicial do nosso projeto. Participaram 15 mulheres, e cada uma produziu uma roupa de tecido, e seus acessórios em palha. ”, conta Francisca, orgulhosa do resultado.